x

DICC

Dia Internacional das Cooperativas de Crédito 2022

Você já sabe que o cooperativismo está por toda parte e, quando o assunto é dinheiro, a gente dá até aula.  

Uma cooperativa de crédito oferece tudo o que um banco tradicional tem, com a mesma segurança, mas de um jeito diferente. As condições são melhores, os benefícios são maiores e você ainda recebe participação nos resultados, que são as chamadas sobras. Trocando em miúdos, em vez de cliente, em uma coop de crédito você é dono de uma instituição financeira. 

São as pessoas que tornam as cooperativas de crédito cada vez mais relevantes para as comunidades. Em troca, as coops oferecem crédito, inclusão e educação financeira para sua gente. E esse é um movimento de grandes proporções e resultados. 

No Brasil, são 815 cooperativas de crédito, que reúnem 15,7 milhões de cooperados e geram 89 mil empregos diretos. Com a maior rede de atendimento físico do país, 7.247 postos, as coops de crédito são a única instituição financeira em 275 municípios brasileiros.  

Por serem essenciais na vida de tantas pessoas e promoverem um ciclo virtuoso de desenvolvimento, temos motivos de sobra pra comemorar o Dia Internacional das Cooperativas de Crédito (DICC), celebrado em todo mundo sempre na terceira quinta-feira do mês de outubro, desde 1948.  

Em 2022, o DICC será no dia 20/10 e tem como tema “Empodere seu futuro financeiro com uma cooperativa de crédito”, definido pelo Conselho Mundial das Cooperativas de Crédito (World Council of Credit Unions – WOCCU, na sigla em inglês).  


Confira as histórias do cooperativismo de crédito

Coops de crédito têm a maior rede de atendimento físico do país
Coop financeiro transforma comunidades
Coops de crédito impulsionam negócios

Inclusão financeira 

O cooperativismo de crédito tem se destacado nos últimos anos por sua contribuição para a expansão do mercado de crédito no país. A participação do chamado SNCC – ou Sistema Nacional de Crédito Cooperativo, tem aumentado de forma consistente e beneficiado principalmente as micro, pequenas e médias empresas, além das pessoas físicas (com ênfase nos produtores rurais). 

No mundo, a taxa de penetração do cooperativismo de crédito, calculada dividindo o número total de membros de cooperativas de crédito pela população em idade economicamente ativa, em 2020 (último estudo publicado), foi de 12,18%. No Brasil, essa taxa foi de 8,13%.  

O Panorama do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo de 2020, editado pelo Banco Central do Brasil, mostra que o crescimento anual da carteira de crédito do SNCC foi maior que o do Sistema Financeiro Nacional (SFN) nos últimos quatro anos, ficando com 35% do total contra 15%. Além disso, os depósitos do SNCC aumentaram 42,4% no ano, enquanto no SFN (exceto SNCC) o crescimento foi de 25,7%. 

Em estudo divulgado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE) em 2020, constatou-se que cidades brasileiras com presença de cooperativas de crédito possuem incremento no Produto Interno Bruto (PIB) per capita de 5,6%, com a criação de 6,2% a mais de empregos e aumento de 15,7% no número de estabelecimentos comerciais. O estudo da Fipe revela ainda que cada R$ 1,00 concedido em crédito pelas cooperativas gera R$ 2,45 no PIB da economia.   

Pessoas que ajudam pessoas 

Guiadas pelos princípios do cooperativismo, as instituições são formadas por pessoas e para pessoas, e possuem em seu DNA uma preocupação essencial com seu público. Por isso, a realização de ações sociais com foco na transformação de realidades é uma característica dessas coops. E os números do Dia de Cooperar (Dia C) comprovam isso. 

O Dia C, realizado por cooperativas de todos os ramos e em todas as partes do país é o maior movimento de voluntariado do setor. Até agora, mais de 500 ações já foram realizadas (de um total de 2.296 previstas), beneficiando mais de 750 mil brasileiros só em 2022.  

E onde as cooperativas de crédito entram nessa história? Simples: até agora, mais da metade de todas as iniciativas do Dia C são de cooperativas de crédito. Elas investiram mais de 2,8 milhões em suas comunidades, beneficiando quase 500 mil brasileiros e suas comunidades, detalhe, esse número é parcial, será ainda maior! 

Viu só!? Quando a gente coopera, transforma um monte de vidas. 

Como tudo começou 

Você já deve ter se perguntado como o cooperativismo de crédito surgiu aqui no Brasil, não é mesmo? Por isso, um dos episódios da websérie do SomosCoop se dedicou a respostar essa e outras perguntas sobre as cooperativas de crédito, que são a nossa força no mercado financeiro. No episódio, você vai perceber que quando muitos se juntam e cada um faz sua parte, o resultado é gigante. Confira: 

Segurança para os cooperados 

No cooperativismo, ninguém faz nada sozinho e um dos grandes parceiros de intercooperação entre as coops de crédito é o Fundo Garantidor das Cooperativas de Crédito (FGCoop). Criado em 2014, o Fundo chegou para fortalecer a imagem das nossas cooperativas de crédito no mercado. É como se o SNCC tivesse um antes e depois do FGCoop, sabe!? 

E como ele agrega tanta credibilidade às cooperativas de crédito? Simples: ele é um fundo formado pela contribuição das próprias coops. A ideia é que o FGCoop, que segue todas as regras do Banco Central do Brasil, seja utilizado para proteger os associados e dar segurança às cooperativas.  

Nos casos de dissolução de uma cooperativa, o FGCoop garante até R$ 250 mil por CPF, beneficiando os cooperados. Ou seja, é desse fundo que vai sair o reembolso dos depósitos dos cooperados nas cooperativas de crédito. Dessa forma, o ambiente de negócios é estável para as coops e atrativo para os seus associados.  

Além dessa segurança, o FGCoop também atua em outras áreas afim de propiciar maior segurança ao Sistema de Crédito Cooperativo. Quer saber como? Clica aqui

Encontre uma cooperativa de crédito próximo a você